Home / #OPINIÃO / #POESIA: GARRANCHOS por Paulo Ludmer

#POESIA: GARRANCHOS por Paulo Ludmer

Garranchos
Sem mordaça, mordo e grito,
​não mutilo narrativa de rua
​grudenta no pulmão de cada um;
​rabisco não ditos,
​garranchos soluçados

                                   aos sem ouvir
​                       às ameaças de poderio sem partilhas

PAULO LUDMER
Paulistano, Jornalista, Engenheiro, Professor, Consultor.
Colunista do DCI do canal energia e da eletricidade moderna.Professor de pós de engenharia da Fei PUC e do Mackenzie. Conselheiro de economia sociologia e política da Fecomercio SP, de energia da associação comercial de SP, de economia da ACS, membro do conselho estratégico de energia da American Chamber SP. Esteve presente no conselho mundial de energia desde 1989.
Secretário geral da interage eleito em 2006 em Bogotá. Membro da International Federation of Industrial Energy Consumers em Genebra e Bruxelas de 86a 2006.
Escritor. www.pauloludmer.com.br
Garranchos Sem mordaça, mordo e grito, ​não mutilo narrativa de rua ​grudenta no pulmão de cada um; ​rabisco não ditos, ​garranchos soluçados                                    aos sem ouvir ​                       às ameaças de poderio sem partilhas PAULO LUDMER Paulistano, Jornalista, Engenheiro, Professor, Consultor. Colunista do DCI do canal energia e da eletricidade moderna.Professor de…

User Rating: 4.55 ( 1 votes)

Comenta aí... :)

comentários

CLIQUE AQUI PARA IR A FAN PAGE DA REDE SINA

Check Also

No Roteiro POR PAULO LUDMER

  Praga de certezas a iludir tolos, embala escopetas buliçosas, brada, oprime, degrada, ira, lacra …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *