Home / #CULTURA / Por onde andei por MELINA GUTERRES

Por onde andei por MELINA GUTERRES

Olá pessoal,

A gente anda por tantos lugares, lê, assiste tanta coisa.. Estamos sempre fazendo escolhas. Algumas experiências valem muito a pena…Comecei a sentir a necessidade de compartilhar… Deixar registrado, guardado que ao passar por algumas delas é como agarrar um tanto de luz… Clareia..

Master Class com Luiz Fernando Carvalho

“Eu não trabalho com ibope”, disse o diretor Luiz Fernando Carvalho em palestra na USP

Sabe quando tu tem a certeza de que está no lugar certo e na hora certa? Pois é, foi exatamente isso que senti quando assisti a palestra do diretor de TV e cinema, Luiz Fernando Carvalho na USP.  Pra quem não sabe sua trajetória, ele é conhecido por levar a literatura às telas, entre suas realizações estão  “Hoje é dia de Maria” e “Alexandre e outros heróis”, finalistas do Emmy internacional. A minissérie “Dois Irmãos” (2017), baseada na obra homônima de Milton Hatoum exibida na Globo é seu trabalho mais recente.

Cheguei e Luiz Fernando estava falando em luta. Pensei, será que estou na palestra certa? Lutar e não se render ao mercado talvez não sejam as palavras que se espera ouvir de um diretor que se dedicou por mais de 30 anos à televisão. Mas foi exatamente o que ouvimos. “Não acho que é preciso ter uma narrativa de guerrilha”, disse contando que sua formação foi feita por rupturas. “O criador é sempre uma ameaça porque ele rompe com o senso comum.. (…) É preciso aprender a dizer não”, conta o diretor, lembrando que muitas vezes é preciso resistir ao mercado para que os projetos não se descaraterizem, nem percam a alma.

Luiz Fernando fala também que é preciso mostrar mais outras regiões e culturas do Brasil, ir além dos eixos Rio e SP. Sobre o trabalho com atores conta sobre a necessidade de desconstrução do ego para construção do personagem.  Para ele, “cinema é poética por excelência e TV um processo educativo em formação”.

A palestra apaixonante de Luiz Fernando, assim como sua história de vida, é um belo grito de resistência para quem acredita em conteúdo de qualidade no cinema e na televisão. #SP

Exposição Yoko Ono

Difícil descrever tudo que envolve a exposição O CÉU AINDA É AZUL, VOCÊ SABE… da Yoko. São várias sensações, que a interatividade provocaram, sejam as de pintar um quadro, colar louças quebradas, pregar pregos, separar pedras, pisar sobre fotografias, escrever numa árvore simbólica de desejos, passar por um flash e sentir como se ele fosse a bomba atômica de Hiroshima. Mas de tudo o mais impactante são as dezenas de olhares e depoimentos de mulheres que sofreram abusos pendurados em uma parede. Difícil ler e não se sensibilizar. Naquela tarde saí em busca de inspiração para escrever sobre o amor, e lá estava ele, o da Yoko pelo outro que ela provavelmente nunca verá mas sabe que existe. Uma espécie de amor social. A exposição esteve no Instituto Tomie Othake em São Paulo.  #SP

 

INSTITUTO NISE DA SILVEIRA

Há alguns anos atrás descobri quem era Nise da Silveira por um post no facebook com uma fala em que ela dizia “Não se curem além da conta. Gente curada demais é gente chata. Todo mundo tem um pouco de loucura. Vou lhes fazer um pedido: Vivam a imaginação, pois ela é a nossa realidade mais profunda. Felizmente, eu nunca convivi com pessoas ajuizadas”. Evidente que foi amor a primeira vista. Na mesma hora abri uma página no google e fui pesquisar quem era ela. Pesquisar sobre Nise é encontrar uma surpresa boa atrás da outra. Logo depois fizeram o filme em a Glória Pires a interpreta. Agora em maio, a convite do Marcelo Valle, ministrei a oficina Sentido a Poesia… Quem disse que eu queria sair de lá? Que honra! Que delícia ver aquele espaço com tanta gente dedicada em volta e os “clientes” conseguindo se expressar com suas próprias palavras. Saibam mais sobre o espaço e curtam a page.  #RJ

BIP BIP e CORUJÃO DA POESIA

Difícil falar desse espaço que existe desde 1964 já com uma forma de resistência a toda e qualquer ausência de democracia. Lá tu entra e pega a bebida, anota pra o Alfredinho e quando terminar de consumir paga. Quem é  músico pode sentar na roda de samba, escolher um instrumento ou trazer o seu e tocar o quanto quiser. O silêncio da platéia é exigido pelo dono do bar. Mesa só pra os músicos ou em dias que o samba não ferve. O consumo é só de bebidas e música. Conheci o bar em 2009 quando morei em Copacabana. Ia lá até quando não tinha música. Vi fieis companheiros do Bip Bip como a Regina que ajudava nas anotações e o senhor mais gentil do Rio, seu Leal que sempre oferecia além do largo sorriso, uma cadeira ou cerveja, deixarem esse mundo. Toda vez que chego lá, pergunto pra o Alfredo se ele ainda lembra de mim, ele diz “tava sumida né gaúcha”. Difícil ir e não me emocionar. Pisar no Bip está sempre na minha agenda do Rio.  E claro, quando consigo ir durante a semana, vou nas terças no Corujão da Poesia que agora acontece no CineJóia em Copa. Na minha época era no Leblon, da 0h às 6h numa livraria 24h que infelizmente não existe mais. Amo demais esses dois espaços no Rio, Bip e Corujão.. Aqueles cantinhos que a alma escolhe, se acomodada, se alimenta, se sente em casa. #RJ

UM NIVER E UM LIVRO PRA LER

E lá na casa do meu amigo Luiz Alberto Barreto Leite Sanz, colunista da Rede Sina, na comemoração dos seus 74 anos, conheci tanta gente bacana e também o livro “68 a geração que queria mudar o mundo”. Como diz o próprio Sanz “Cercado de pessoas significantes, de gerações que continuam lutando para mudar o mundo. É muita História sobre esse sofá compartilhado por gaúchos e cariocas que compartem a paixão pela liberdade. Salve Melina Guterres, poeta, jornalista, cineasta, atriz! Salve Lourdes Grzybowski, editora, educadora, artesã, fotógrafa, doceira! Salve Cândido Grzybowski, cientista político, jornalista, ativista social que foi um dos criadores do Fórum Social Mundial, mas detesta refletores! Salve Vera Lúcia Giraldez Canabrava, psicanalista, educadora, fundadora do Sindicato dos Psicólogos do Rio de Janeiro, com atuação notável nos Conclats e Enclats que marcaram o início dos anos 80 e em tantas outras empreitadas! Salve Leonardo Fernandes, professor de História que luta para que nossas crianças tenham uma educação melhor! Salve Eli Eliete, educadora, editora do Livro que Melina tem nas mãos, coordenadora do fórum virtual Os Amigos de 68 e ativa em tantas outras empreitadas! Salve! Salve!”

Sempre grata e aprendendo mais sempre!  #RJ

Gravando poesia…

Gente que acredita na poesia, muito obrigada! Tenho tentado levar a poesia além do papel, vídeo arte? Outra forma de se expressar. No Rio de Janeiro gravamos Out here com os queridões atriz e cantora Paola Matos e o fotógrafo Rodrigo Ricordi. Em Santa Maria o diretor Jayme Filho e amiga e advogada Camila Carvalho com Um poema quase infantil

#RJ #RS

 Em cartaz…

Os Inseparáveis 

É a versão argentina de  “Os intocáveis”. A crítica parece que não curtiu muito a versão. Mas eu me deitei com a minha pipoca e água no sofá do Cinesala, que é um bravo resistente cinema de rua na Fradique Coutinho na Vila Madalena (sim tô fazendo propaganda de graça pq adorei).. e lá ri,  chorei, me irritei com um certo machismo dos personagens, mas me deliciei com as interpretações dos atores. Se tivesse um cobertor naquela sala eu acho que não levantava..  Ficava direto pra o próximo filme. rsrss

Amor.com 

Para quem quer assistir uma comédia leve, romântica que envolve temas bem atuais como a vida de dois youtubers nada mais indicado que Amor.com. Além de mostrar como os personagens lidam com a essa super exposição online, há um referência também de como superar as diferenças entre eles. Ela é uma mulher bem resolvida financeiramente que ajuda o namorado a crescer. Ela gosta de moda, ele de games. Eles contam tudo nas redes sociais. A geração que já nasceu conectada vai se sentir em casa no cinema.  A direção é de Anita Barbosa, roteiro de Leandro Mattos, protagonizam Isis Valverde e Gil Coelho.

Certo ou errado?

Miguel Rodrigues, diretor e produtor da Take a Take filmes, dirigiu o vídeo clipe “Terror” do Mc Kauan. O clipe foi divulgado em um canal  no Youtube (Kondizilla) e já passa das 10 milhões de visualizações. Parece ótimo né? Mas o canal não divulga os créditos do diretor, produtora e equipe ainda edita o vídeo e coloca “Kondizilla apresenta”. Fiquei curiosa pra saber sobre a questão de direitos autorais nesse caso e ouvi a advogada Débora Stajnberg e a Sylvia Palma da Gedar e Abra, ambas afirmam que Miguel se quiser pode entrar na justiça para cobrar seus direitos. Já o canal tentei contato mas não houve esclarecimento sobre o tema.

Em quem votar?

A Abra – Associação Brasileira de Roteiristas lançou seu primeiro prêmio. Como associada tenho que escolher em quem votar. Já conhecem os finalistas? Querem dar sugestões?

E por falar em sugestões, aceito de lugares onde ir também, só me escrever (contato@melinaguterres.com) ou chamar no face.

Espero que tenham gostado e até a próxima! 😉

MELINA GUTERRES é jornalista, roteirista, atriz, diretora. Como repórter trabalhou para veículos como Folha de São Paulo, Estadão e UOL. Como roteirista escreveu “Clandestinos” longa-metragem contemplado no Programa Ibermedia em 2009, selecionado entre 35 países. É roteirista da série de ficção infanto-juvenil “Despertos” com Panda Filmes de Porto Alegre-RS. Escreveu e dirigiu curtas  de ficção e documentário. Foi Jurada no I Festival de Cinema Estudantil – CINEST em Santa Maria-RS. Trabalhou com produção audiovisual desde 2002  e assessoria de comunicação para empresas do RS, RJ, SP.  Foi uma das autoras do projeto “Cinema Comunitário”, contemplado no edital Novos Brasil/OI Futuro, (Rio de Janeiro-RJ), atua na área social desde os 13 anos. É poetisa , blogueira, apaixonada por poesia, cinema, cultura, diversidade. Administra diversos canais online onde reúne mais de 100 mil pessoas. Lançou o site REDE SINA – COMUNICAÇÃO FORA DO PADRÃO em 2016, com intuito de dar voz e proporcionar trocas à diversas pessoas.  Sua poesia “A sorte de um final tranquilo” no livro “Juventudes: Outros Olhares sobre a diversidade” da UNESCO.  Em 2017 inicia curso de interpretação para cinema no Stúdio Fátima Toledo e entra pra ABRA – Associação Brasileira de Autores Roteiristas. Também tem seu site pessoal: www.melinaguterres.com

 

Olá pessoal, A gente anda por tantos lugares, lê, assiste tanta coisa.. Estamos sempre fazendo escolhas. Algumas experiências valem muito a pena...Comecei a sentir a necessidade de compartilhar... Deixar registrado, guardado que ao passar por algumas delas é como agarrar um tanto de luz... Clareia.. Master Class com Luiz Fernando Carvalho…

User Rating: 4.6 ( 3 votes)

Comenta aí... :)

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *