Home / #FICARZEN / O Vale das Frivolidades, por TADANY

O Vale das Frivolidades, por TADANY

 

Às vezes, cruzo por certos vales de frivolidades, habitados por fantasmas que se assemelham à pessoas. São imagens reais, apesar de parecerem ilusórias, mas também são apavorantes, pois possuem certos desvarios que, em seus habitats, são amplamente aceitos como parte do modus vivendi local. Entre estes disparates, os mais triviais são a arte de escrever sem dizer nada, a pretensão de falar sem ter significado, a audácia de expressar sem ter conteúdo, a ousadia de compartilhar sem dar nada, o atrevimento de viver sem estar vivo e a ignomínia de estar morto sem ter morrido. Confesso que sinto veementes calafrios quando me encontro nestes ambientes. Sempre tento evitá-los com inabalável convicção, mesmo assim, acho que vivo à mercê dalgum infortúnio, pois, vez que outra, mesmo sem querer, me encontro nestes indesejáveis lugares. Então, quando isto acontece, para manter um agradável nível de felicidade psico-emocional, faço de conta que escuto o vazio sonoro que eles emitem, finjo que estou lendo as desconexas palavras escritas, presto atenção à insignificância do nada, observo sem ver e percebo sem sentir. Faço tudo isso enquanto que, internamente, sorrio com certa dor, mas também com certa gratidão, porque a memória me transporta à um tempo pretérito onde caminhei por sendas superficiais, passeei por caminhos ignorantes, perambulei por veredas irreais e também me perdi em vales de frivolidades. (Tadany – 02 06 11)

 

TADANY CARGNIN DOS SANTOS

Executivo Internacional. Cidadão Global. Palestrante. Poeta. Escritor. Pensador. Counsellor. Espiritualizado. Alegre. Curioso. Dinâmico. Profundo. Agradecido. Aventureiro. Tadany é formado em Administração de Empresas pela UFSM. Já trabalhou em muitos países ao redor do mundo e, atualmente, é Gerente de Globalização na IBM Índia. Ademais, por 3 anos, ele também estudou Advaita Vedanta num monastério nos Himalayas (Índia) com o Swamy Dayananda Sarasvati (www.dayananda.org). 

 

 

PS: Para citar este texto:

Cargnin dos Santos, Tadany. Pensamento 886. www.tadany.org

 

Comenta aí... :)

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *