Rocinha - Rio de Janeiro-RJ
Home / #OPINIÃO / O outro é o outro. Não é você em outro corpo POR PAULO CABRAL

O outro é o outro. Não é você em outro corpo POR PAULO CABRAL

Sinto muito falta, em todos os lados, da disposição em ouvir com atenção e abertura

Por obvia que me pareça esta ideia, também me parece que é grande a dificuldade de muita gente em capta-la. Creio vir em parte daí essa atitude tão contemporânea de ignorar, desprezar, massacrar ou tentar impor ideias e ideais ao outro, a qualquer sinal de que ele, ela ou eles possam pensar e sentir diferente da gente. Não cabe nem dá para julgar, usando nossos parâmetros internos, o que ou porque o outro pensa, diz ou faz ou que faz. São outros universos, contextos, histórias, sentimentos….
Sinto muito falta, em todos os lados, da disposição em ouvir com atenção e abertura. Vejo isso como a verdadeira empatia, que não é estar de acordo com ou ser simpático às ideias do outro, mas sim ter a disposição de – com sinceridade e sem julgamento prévio – tentar entender e entrar num universo diferente para se comunicar com o outro de maneira mais profunda e significativa. “Eu discordo de você” deveria estar no fim e não o começo de uma conversa, que também pode muito bem terminar com um “você mudou minha opinião”.

Acho que ajuda neste processo acalentar sempre uma pontinha de dúvida a respeito de nossas maiores e mais caras certezas…

PAULO CABRAL, é jornalista há 20 anos com grande experiência na cobertura internacional. Atualmente é correspondente no Brasil da CCTV News, o canal internacional de notícias em inglês da TV chinesa. Já foi correspondente da BBC News no Brasil e da BBC World Service em Washington DC (EUA) e no Cairo (Egito) além de apresentador, em Londres, dos programas em português de rádio da emissora britânica. Também foi âncora na Rádio Band News FM e repórter do jornal O Estado de São Paulo e da Agência Folha.
Sinto muito falta, em todos os lados, da disposição em ouvir com atenção e abertura Por obvia que me pareça esta ideia, também me parece que é grande a dificuldade de muita gente em capta-la. Creio vir em parte daí essa atitude tão contemporânea de ignorar, desprezar, massacrar ou tentar…

User Rating: Be the first one !

Comenta aí... :)

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *