Home / #CULTURA / ENTREVISTA: BANDA DETONAUTAS

ENTREVISTA: BANDA DETONAUTAS

“Nesse novo momento, de tanta polarização, discursos raivosos, julgamentos sumários e descrédito de instituições, a gente voltou a uma sonoridade mais limpa, canções que miram direto ao coração de quem ouve.”

Afirma Renato Rocha, guitarrista da banda Detonautas Roque Clube (DRC) à Rede Sina. A banda este ano comemora os 20 anos e deve lançar em breve o sexto álbum (VI) de inéditas, entre elas “Dias Assim” gravada com Leoni. O clipe dirigido por Vitor Barão, é inspirado em uma ação realizada nos Estados Unidos chamada “First Kiss” e reuniu 26 pessoas desconhecidas que formaram 13 casais com uma missão: beijar!

A banda formada em 1997 no Rio de Janeiro, vem trazendo temas como amor, violência, corrupção, provocando debates nas redes sociais. A preocupação com a cidadania marca o perfil de luta social e política da banda. Já abriram Shows de diversas bandas internacionais como: Spy vs Spy, Silverchair, Red Hot Chilli Peppers, Evanescence, System of a Down, Guns N’ Roses, Marky Ramone e The Offspring.

REDE SINA – Neste mês o DRC completa 20 anos de carreira, se mantendo sempre na estrada, com um público cativo mas que também se renova. Em um cenário cada vez menos tomado pelo Rock, o que guia e guiou a banda ao longo do tempo para que sempre se mantivessem firmes e na ativa?

DRC (RENATO ROCHA – GUITARRISTA) – Estar no palco tocando é algo que a gente realmente gosta de fazer, a banda sempre se colocou dessa forma, desde o início. Arrumávamos um show, a gente ensaiava e fazia o show. Há bandas que ficam ensaiando por muito tempo, meses, anos, lapidando tudo, e há bandas que ensaiam duas vezes e se apresentam no final de semana. A gente tem mais a ver com o segundo grupo. Então ao longo desses 20 anos nós não saímos da estrada, mesmo nos piores momentos. É isso que mantém a banda viva. Todo o resto funciona para convergir nesse momento. Claro que curtimos o estúdio também, para gravar, compor, etc… mas sentir a força da música ao vivo é incrível, conseguimos perceber como essas letras e melodias fazem parte da vida de um monte de gente.

REDE SINA – A apresentação de vocês no Palco Mundo no Rock in Rio 2011 foi eleita a melhor performance nacional daquele ano, rendeu belos registros em CD e DVD e o convite para o tributo a Raul Seixas na edição de 2013. Qual a importância da cultura dos festivais de música em tempos inóspitos política e economicamente como os que estamos vivendo hoje no país?
Nos grandes festivais, principalmente no Rock in Rio, existe um magnetismo, realmente atrai a atenção de muitas pessoas com aquele clima que só a música é capaz de criar. Pro artista que se apresenta é uma vitrine gigantesca e não se pode desperdiçar a oportunidade. E, apesar de não ser barato para todos, proporcionalmente é um evento com ótimo custo/benefício. Assiste-se a vários shows de artistas que estão com suas turnês rodando pelo mundo em apenas uma noite de festival.

REDE SINA – O “VI” surge na sequência de “A saga continua” (2014), álbum com uma levada mais puxada de Rock e letras pungentes que abordavam dentre outras questões, a problemática social. Nesse novo trabalho qual foi a força condutora das canções? Apostam em algum hit inédito?
Nesse novo momento, de tanta polarização, discursos raivosos, julgamentos sumários e descrédito de instituições, a gente voltou a uma sonoridade mais limpa, canções que miram direto ao coração de quem ouve. Creio que conseguimos captar a dose certa de emoção nas canções, somos um banda que toca firme, mas equilibramos bem essa pegada e buscamos a dinâmica em cada faixa. Por Onde Você Anda? é uma música forte desse repertório, tem sido muito bem recebida ao vivo e a gente está gostando muito de tocá-la ao vivo. Essa pra gente tem essa força de hit, mas vale ouvir o álbum todo assim que for lançado pra tirar sua própria conclusão.

REDE SINA – A parceria com Leoni em “Dias assim”, tem repercutido muitíssimo bem em todos os veículos e também com o público em geral. De onde surgiu a ideia de fazer o clipe registrando o beijo entre 13 casais de desconhecidos? Como foi realizar o clipe?
A gente está sempre pensando em conteúdos novos pro nosso canal no YouTube, ainda mais agora com o lançamento dessas músicas que vão culminar no lançamento do álbum VI, e fizemos um lyric vídeo para Nossos Segredos, que foi a primeira que saiu, dia 11/08. Colocamos Dias Assim em segundo e o pessoal da Seven Content que cuida das redes sociais da banda conosco nos mostrou uma ideia anterior para um possível lyric vídeo contendo imagens do experimento First Kiss, e ficamos tocados pelas imagens. Mas tínhamos que filmar do nosso jeito e avisamos nas redes que precisávamos de voluntários para participar do experimento. As filmagens ocorreram em Uberlândia e a direção foi do Victor Barão, da Seven, que tem sede na cidade. Mais de 300 voluntários apareceram e foram selecionados 26 pessoas, os 13 casais que estão no clipe. Não estávamos presentes nas filmagens e gostamos muito do resultado, é importante a reflexão, estamos falando de amor, beijos e abraços, não de chutes e socos.

REDE SINA – Além de 9 faixas inéditas, “VI” contará com a regravação de um sucesso do Hyldon e também com a participação de um coral de crianças em “Aqui na terra”. Esse encontro de referências e de gerações foi ao acaso, ou reflete um pouco do que a banda entende como legado?
A do Hyldon foi sugerida pelo Tico, que estava pesquisando possíveis músicas que tinham a ver com o espírito das nossas e chegou nesse lindo clássico. Topamos na hora! Música boa não tem prazo de validade. Aqui na Terra é uma música muito antiga, do início da banda que nunca havia ganhado uma gravação de verdade, apenas demos de 1997. Mudamos a levada dela, demos uma mudada, mas mantivemos a letra e a melodia originais, o coral foi pra dar um contraste diferente, as crianças trouxeram uma inocência a mais a uma canção já inocente de nascença.

REDE SINA – Fazendo jus ao título do álbum, a sexta e última pergunta: O que o tempo trouxe ao DRC que os fãs poderão observar nitidamente neste novo trabalho?
Nesse álbum a banda toda participou ativamente de todo o processo. Voltamos a ser oficialmente um sexteto na nossa discografia, com a entrada do Maccarrão no baixo, todos se envolveram no processo, tudo feito com muita vontade e amor. Passar por tantos anos de carreira e se manter compondo, gravando, tocando, acaba forjando uma liga muito forte. Esse álbum marca esse espírito, é nossa forma de oferecer bons momentos às pessoas, momentos de paz, de harmonia. Acreditamos no amor universal, mesmo em tempos estranhos como agora…

a BANDA:

Tico Santa Cruz – Voz
Renato Rocha – Guitarra & Voz
Fábio Brasil – Bateria
DJ Cleston – DJ & Percussão
Macca – Contrabaixo
Phil – Guitarra & Voz

SITE: http://www.detonautas.com.br

PAGE: https://www.facebook.com/Detonautas

"Nesse novo momento, de tanta polarização, discursos raivosos, julgamentos sumários e descrédito de instituições, a gente voltou a uma sonoridade mais limpa, canções que miram direto ao coração de quem ouve." Afirma Renato Rocha, guitarrista da banda Detonautas Roque Clube (DRC) à Rede Sina. A banda este ano comemora os…

User Rating: 5 ( 1 votes)

Comenta aí... :)

comentários

CLIQUE AQUI PARA IR A FAN PAGE DA REDE SINA

Check Also

Deveres Democráticos, por TADANY

A democracia demanda uma sutil, mas imperativa mudança de atitude dos homens públicos. É crucial …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *