Home / #OPINIÃO / DEPRÊ por TAVINHO PAES

DEPRÊ por TAVINHO PAES

…amigos do peito e do dia a dia: tá duro de segurar a barra (é o noticiário político – alimentando a certeza de que sou um otário, a conta do banco no vermelho – e o banco me dando mais crédito pr’eu me fuder de vez,

a gravíssima falta de um celular para, como todo mundo, receber telefonemas dos amigos – sem celular sou um cidadãos de segunda classe, quase um refugiado e, principalmente, esses meus amores fascinantes que nunca estão por perto quando a paixão toca a campainha lá dentro da cabeça).
… não tem jeito: a depressão me dominou o corpo e apossou-se da minha alma sem que eu possa fazer nada … resta-me um consolo: quem não tem uma dessas de vez em quando? (tem quem a tenha dias seguidos).
… essa que me pegou hoje é melancólica … fica passando um filme horrível de coisas horríveis na minha cabeça e na televisão só tem filme americano com psicopatas e policiais o tempo todo … tudo que não deu certo e tudo que ficou pior reapareceu do nada cobrando pedágio … as pessoas que eu amo estão tão longe quanto uma msg inBox … não há chance de receber um carinho dessas pessoas que eu acho lindas, gostosas, felizes, apaixonantes (e isso de não se fazer mais carinhos está ficando cada vez mais normal que se eu não me acostumar vão me rejeitar e ainda falar muito mal de mim) … nenhuma disposição para reagir, nenhuma vontade de fazer nada (até esse post está sendo escrito com dificuldade) … é tristeza de todo tipo: saudades sem meios de acabar com elas, desilusões amorosas cada vez mais consistentes, nenhum sorriso à vista, tudo me irritando, nada de festa, passeio, poesia … as coisas resolveram me sacanear e parecem paralisadas numa fermata musical de uma canção brega bem triste … o paladar não está ajudando (e olha que eu cozinho bem) e não tenho vontade nem de beliscar o bife coberto por gorgonzola com nozes (tudo bem, deve ser porque não sou vegano) … acho que vou tomar um remédio daqueles que derrubam elefante … Dr. Antonio Pedro Bocayuva Cunha, tem receita aí de algo desse tipo pra ver se apago?

… entretanto, para minha insatisfação ganhar fôlego (a Lei de Murphy é implacável nestas horas), de repente, com a cabeça girando e dando pontadas como quando se está de ressaca e a musculatura acusando pontos de incomodo pelo corpo, espirro uma, duas, tres vezes … desconfio seriamente da minha capacidade suicida e consulto o termômetro: febre leve (38º) … pô, eu bem que queria ser moderninho e ter uma depressão dessas que todo mundo comenta que teve ou conhece alguém que está tendo, mas, tenho que admitir que meu caso é mais vulgar … é gripe, Mário Bortolotto – pode coisa mais escrota me pegar assim sem mais nem menos?: … gripe é muito chato … gripe é ridículo … depressão seria mas chic … os remédios são mais caros … tenho que me satisfazer com a vulgaridade que me cabe e tomar vitamina C e esperar … esperar … esperar … que horror … tô deprê … é gripe … que saco!

TAVINHO PAES (1955- …macro microBiografia semicompleta)
– aquário, ascendente aquário, lua em escorpião – carioca, botafoguense por causa  de Mané Garrincha – 59 anos
– estudou Economia (1972-1976), Filosofia (1977) na PUC-RJ (não se formou em nada – nunca ganhou nem concorreu a prêmio nenhum)
skills: poeta em tempo integral; escritor nas horas vagas; jornalista do contra;, webmaster por circunstâncias (desde 1991 – técnico em BBS, Access e Apache), trabalha com vídeo desde 1980 –  editor produtor, diretor; comediante (ator, não); roteirista enquanto contador de estórias reais); e anarquista (graças a deus)!

Poesia: Para esta edição da FLIP, apresenta + de 120 booklets e panfletos, realizados desde 1976, sempre em produção e distribuição independente título em destaque: O Travesti Bossal (1978); Trilogia da Paixão Inventada, Palanque Punk; Cinemix; A Cinderela Descalça; Lixo de Luxo; Ingênuo Gênio (em lançamento);  …desde 2004 experimenta formatos multimídia para livros: audiobooks (TAWHISKY GUERRA – Ed. NossaCultura – Curitiba 2009), audiocardbooks (Mobile Ping Pong – iMusica – Flip 2010) e audiovisualbooks como MnemoMix (2005), psychoPop (2009)  PoetryFilms apresentados no Zebra Poetry Film Festival de Berlin nas edições de 2008/2010/2012/2014).
Lançando o audiobook MAD MADALENA no 4º ano do evento poeMatrix à La Luna, na.
Fundador do grupo poemaTerror (1976), com Demétrio Gomes e Torquato de Mendonça, responsável por eventos de interferência em circuitos como conferências e palestras e intervenções urbanas;
Fundador adjunto  do Cep 20.000, com Chacal, Carlos Emílio Lima e Guilherme Zarvos (1991;
Diretor e Produtor poemaShow (2003/2005) em parceria com o poeta Ricardo Ruiz de Muniz;
Diretor e produtor do evento Semana Cultural de Santa (2005), Diretor e Produtor do Festival Poesia Voa – Festival Internacional de Poesia do Circo Voador (2005/2006) em parceria com Bruno Cattoni e Maria Juçá; Diretor e produtor do evento cinePoema; em parceria com Marcelo Gibson (2006-2007)
Diretor e produtor do evento SOLOnoSUBSOLO  – Cineclub multimedia (2008), Diretor e produtor do evento AstroLab – Cineclub multimedia (2008), Diretor e produtor do evento KINECLUBB, em parceria com Karla Sabah (2010/2011), Diretor e produtor do evento aFUNDAÇÃO, e do grupo Mobile Ping Pong), em parceria com Arnaldo Brandão e Betina Kopp (2009/2013), Diretor e produtor do evento CineMix – alive webcam mix; em parceria com Arnaldo Brandão e Beatriz Provasi (2010/2012).
Diretor e produtor dos evento KINOCLUBB;  concebido após treinamento em Berlin, no Litteraturwekstatt programm e Gestalten TV (http://www.gestalten.tv), Diretor e Produtor do WOMEN in RIO – Female Emotional Intelligence Fórum; 2006. Curador e Produtor do evento Voz à Vossa – com Marcela Spérandio e Cecília Spyer; 2016/17.
vide: https://www.facebook.com/vozavossa/

Música: + de 250 registros gravados por artistas como: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Gal Costa, Marina Lima, Marisa Monte, Rita Lee, Lulu Santos, Lobão, Skank, Ney Matogrosso, >> parceiro/amigo de Arnaldo Brandão desde 1982 –são 32 anos! Como são dois artistas autênticos, nunca brigaram! Sucessos de rádio: Totalmente Demais, Linda Demais,  Radio Blá, Gata Todo Dia, Sexy Yemanjah (abertura da novela Mulheres de Areia), etc… Produziu trilhas musicais para filmes como Navalha na Carne (Prêmio JB-1997) e Luzia Homem, entre outros. Atualmente, é autor junto a Brandão e Mônica Millet do tema de abertura do DOCx BRASIL MÍSTICO,  em cartaz na Globosat, às 22:30h.
Dirigiu Video-Clips para MTV para artistas, direção e montagem do docx H.O.N.Y. (Hélio Oiticica in New York), em parceria cok Marcos Bonisson – Premio Osaka Art Festival (1990) e destaque da amostra H.O – PS1 (New York – 1988); Criou e Dirigiu musicais para a Mutante Night-Club como: O Corôa & A Gatinha e Aquele Beijo que eu te dei. (2001/2002 … Fundador da Gravadora INDIE Records (1996)junto com Liber Gadelha… Jornalismo: Escreveu textos para todos os grandes jornais do eixo Rio-São Paulo e colaborou com vários jornais de outros estados por períodos regulares. Editor de O PASQUIM, entre 1985/86 e da revista cultural RioCapital (1998). Editor do jornal poemaShow (2005/2006) Colaborou com os jornais Él Clarin (Argentina) e O Mundo Português (Portugal) – 1999-2001. Pertenceu ao quadro de articulistas de independentes como OPINIÃO (1977), Bondinho(1975), Jornal de Ipanema (1979), O NACIONAL (1985), entre outros. Colabora com jornais eletrônicos, tendo sido editor dos extintos Cult Link e PasquiNet. Cinema: Participou de filmes como: Rio-Babilônia; A Idade da Terra; Terror & Extase; O Segrêdo da Múmia e Luar sobre Parador. Trabalhou em parceria com Chacal como Roterista para o programa Juba & Lula, TV Globo. Dirigiu e Produziu com Marcos Bonisson o documentário HONY (Hélio Oiticica in New York), docx H.O.N.Y. (Hélio Oiticica in New York), em parceria cok Marcos Bonisson – Premio Osaka Art Festival (1990) e destaque da amostra H.O – PS1 (New York – 1988); Artes Plásticas: exposições individuais:  Presentes Contínuos (1976), Macro-Fanzines (1989), Eletro-Zines (2002), MiniLivros anos 70/80 (Bienal de São Paulo – 1996).
Performances: Rimbauds Efêmeros (1977), VT-JAM-TV (1986), TV DADA Show (1978), web skills

...amigos do peito e do dia a dia: tá duro de segurar a barra (é o noticiário político - alimentando a certeza de que sou um otário, a conta do banco no vermelho - e o banco me dando mais crédito pr'eu me fuder de vez, a gravíssima falta de…

User Rating: 4.58 ( 2 votes)

Comenta aí... :)

comentários

CLIQUE AQUI PARA IR A FAN PAGE DA REDE SINA

Check Also

Uma cena, um diálogo sobre assédio por MELINA GUTERRES

No começo de 2017 escrevi algumas cenas para gravar como material experimental de atriz, entre …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *